Dicas úteis

Uma escolha saudável de óleo vegetal. O que você deveria saber

60views

Escolher o óleo vegetal certo é a chave para a nossa saúde e apetite. Neste artigo você encontrará conselhos práticos sobre como reconhecer óleo de alta qualidade e evitar falsificações. Você aprenderá quais óleos são mais saudáveis ​​e o que observar na hora de comprar.

O principal problema dos óleos vegetais reside no fato de que os rótulos muitas vezes estão repletos de palavras bonitas, atrás das quais se esconde apenas a publicidade. Como saber se o azeite é fresco, saudável, adequado aos seus pratos e saboroso? Como saber se não está diluído?

Não pensamos frequentemente nestas questões, mas a escolha do óleo tem um grande impacto na nossa saúde e na saúde dos nossos entes queridos. Você sabia que na maioria das vezes eles falsificam óleos caros, como azeite, pinho raro, amaranto ou óleo de semente de uva? Geralmente são diluídos com óleos mais baratos, como colza, soja ou girassol. Leia este artigo para escolher apenas os óleos corretos e saudáveis.

Petróleo refinado – bom ou ruim?

O óleo refinado passa por processamento físico-químico para torná-lo mais leve e evitar sua durabilidade. No entanto, esse óleo está esgotado de substâncias úteis, incluindo vitaminas.

Certifique-se de que o rótulo diga “óleo virgem” e “primeiro prensado a frio” (ou “prensado”). Este é o óleo mais saudável, seja azeite, girassol, cártamo ou noz.

Um óleo raro e caro

O fato de o petróleo ser raro e caro não significa que seja de alta qualidade e bom. Entre em contato com a empresa da qual você pretende comprar um óleo precioso e caro e descubra os detalhes: eles próprios o produzem? De onde vem a matéria-prima? Há quanto tempo eles estão no mercado? Para evitar decepções, aborde cuidadosamente a compra de óleo caro. Aprenda a reconhecer um produto de qualidade pela cor e pelo cheiro.

Óleo sem conservantes e corantes

Mesmo que não haja tal inscrição na embalagem, você não as encontrará no óleo de qualquer maneira. O óleo vegetal é excelente porque é difícil adicionar qualquer corante ou conservante artificial.

Para evitar a oxidação do óleo, compre-o em garrafas de vidro escuro. O fabricante recomenda no rótulo que é melhor usar óleo não refinado (prensado a frio) em dois meses e refinado em quatro.

E quanto às vitaminas?

Somente o óleo não refinado prensado a frio contém a quantidade máxima de vitaminas e microelementos naturais. No óleo refinado, todas as vitaminas listadas na embalagem são de origem sintética. Enriquecem o óleo já purificado com estas vitaminas.

Livre de OGM

Componentes geneticamente modificados da matéria-prima original – soja, milho, colza – podem penetrar no óleo vegetal. Portanto, este produto é testado quanto à presença de OGM.

O problema é que a presença de componentes OGM no óleo vegetal refinado não pode ser detectada por métodos laboratoriais modernos. É por isso que você tem que confiar na sorte aqui e não acreditar na propaganda que afirma que o óleo não contém OGM.

Colesterol como truque publicitário

O colesterol não é encontrado em nenhum produto vegetal, portanto não é necessário mencioná-lo especificamente no óleo, exceto em publicidade.

Essas dicas são adequadas para todos os cozinheiros domésticos. Descobri muito sobre petróleo, algumas coisas nas quais nunca pensei. O que mais gostei foi o facto dos conservantes – agrada-me que não existam conservantes nocivos em nenhum óleo.

E o que você achou útil? Compartilhe esse importante conhecimento com seus amigos, pois todos temos óleo vegetal em nossa cozinha.

Fonte:

Leave a Response

Fernando Pessoa
Nos meus artigos, partilho dicas úteis sobre jardinagem e culinária em português. Conheça as minhas ideias únicas para melhorar o seu jardim e preparar pratos deliciosos.