Dicas úteis

Graças à UE, os carros devem agora ter novos limitadores. O carro não vai deixar você fazer isso

47views

Este post já foi lido 20 vezes!

A partir de 7 de julho de 2024, todos os automóveis novos vendidos na União Europeia deverão estar equipados com um Limitador de Velocidade Inteligente (ISA). Este sistema, que visa aumentar a segurança rodoviária, representa uma mudança significativa tanto para os fabricantes de automóveis como para os motoristas.

O que é um ISA e como funciona?

O sistema ISA utiliza câmeras que reconhecem sinais de limite de velocidade, bem como dados de GPS e sistemas de navegação por satélite para determinar o limite de velocidade em um determinado trecho da estrada. Caso o veículo ultrapasse esse limite, avisa o motorista com um sinal sonoro ou vibrações no volante ou no pedal do acelerador. Se o condutor não reagir, o sistema reduz a potência do motor e reduz automaticamente a velocidade do veículo até ao limite prescrito.

O motorista tem a opção de desligar o sistema ISA, mas ele é reativado automaticamente toda vez que o veículo é ligado. A medida faz parte de uma estratégia mais ampla da UE para alcançar zero mortes nas estradas até 2050.

Impacto no Reino Unido

Embora a regra da UE não seja juridicamente vinculativa no Reino Unido pós-Brexit, os fabricantes de automóveis não demonstraram interesse em abastecer o mercado do Reino Unido com automóveis sem o sistema ISA. A razão é o esforço de redução dos custos e da complexidade de produção, o que leva a uma oferta uniforme de automóveis para todo o mercado europeu.

O governo conservador cessante descartou a introdução de uma ISA obrigatória, mas um novo governo trabalhista poderia assumir uma posição diferente e procurar um alinhamento mais estreito com a Comissão Europeia.

Benefícios de segurança do ISA

O principal proponente da ISA é o Conselho Europeu de Segurança nos Transportes (ETSC), que afirma que reduzirá as colisões em 30% e as mortes nas estradas em 20%. O sistema ISA, juntamente com outras medidas, como a travagem autónoma de emergência (AEB), poderá prevenir até 140.000 feridos graves em acidentes de viação até 2038.

A introdução do ISA também é apoiada pela organização EuroNCAP, conhecida pelos seus testes de colisão. “Uma maior aplicação dos limites de velocidade evitará acidentes e mitigará as consequências daqueles que ocorrerem”, afirmou.

Desafios e limitações do ISA

Apesar de muitas vantagens, o sistema ISA também tem as suas deficiências. A tecnologia nem sempre é confiável, e os veículos que dependem apenas de câmeras para reconhecer os sinais podem ter dificuldades em situações em que os sinais não são claramente visíveis ou estão faltando. Portanto, o sistema pode ser desligado para evitar situações desagradáveis, como o limite de velocidade na rodovia.

Conclusão

O novo regulamento sobre o sistema ISA obrigatório representa um passo significativo no sentido de estradas mais seguras na UE. Embora o Reino Unido não seja obrigado a adoptar estas regras, é provável que os sistemas ISA se tornem comuns nos automóveis daqui. A pressão das organizações de segurança e da busca dos fabricantes por práticas de fabricação uniformes serão fatores-chave que influenciarão o futuro desta tecnologia.

Leave a Response

Fernando Pessoa
Nos meus artigos, partilho dicas úteis sobre jardinagem e culinária em português. Conheça as minhas ideias únicas para melhorar o seu jardim e preparar pratos deliciosos.